Relações Ecológicas

Cristina Faganelli Braun Seixas*


Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação

Abelhas em colméia, exemplo de sociedade
Na natureza, existem diversos tipos de relações entre os seres vivos, sendo algumas benéficas e outras prejudiciais para cada um dos envolvidos.

Essas relações são classificadas como positivas, quando há ganho para um dos envolvidos ou para ambos, e como negativas, quando há prejuízo pelo menos para um dos envolvidos.
Quando ocorrem entre indivíduos da mesma espécie, as relações são denominadas intra-específicas e, quando são de espécies diferentes chamamos de interespecífica. Vamos observar mais detalhadamente essas relações, começando com os casos de relação intra-específica.

Colônia e sociedade

Os recifes de corais são formados por vários indivíduos unidos que, normalmente, trabalham em conjunto. Essa relação é denominada colônia. A união de diversos seres vivos da mesma espécie também ocorre de uma outra maneira, quando seus integrantes são extremamente organizados e desempenham funções diferenciadas, e não estão apenas unidos como é o caso das colônias. Chamamos de sociedade a essa relação e ela ocorre, por exemplo, entre abelhas, formigas e cupins.

Em uma colméia, a organização é perfeita, pois existe a rainha, responsável pela reprodução, o zangão, cuja função é fecundar a rainha, e as operárias que são estéreis e desempenham as mais variadas funções, como por exemplo, proteger e limpar a colméia, coletar o mel, fabricar os favos, etc.
Relações interespecíficas

Podemos destacar sete tipos de relações entre seres vivos de espécies diferentes:

1) A protocooperação em que os dois seres envolvidos cooperam um com o outro. Um exemplo disso é o que ocorre pássaro-palito e o jacaré. Trata-se de um tipo de pássaro que retira os resíduos de carne existentes entre os dentes do jacaré. Com isso, o jacaré ganha uma limpeza bucal e o pássaro recebe seu pagamento forma de comida. Nessa situação, os dois se ajudam, mas não dependem disto para garantirem sua sobrevivência, como é o caso que vem a seguir.

2) O mutualismo é uma associação imprescindível, pois ela garante que os dois animais envolvidos sejam beneficiados e sobrevivam. Um exemplo de mutualismo é o líquen em que acontece a associação de uma alga com um fungo: a alga produz alimento através do processo fotossintético que o fungo utiliza; este, por sua vez, absorve muita umidade e matéria orgânica que a alga aproveita

Outra situação de mutualismo ocorre entre os ruminantes (o boi, por exemplo) e as bactérias em seu estômago. Os bovinos são herbívoros, mas, apesar disso, não produzem uma enzima denominada celulase, necessária para quebrar a celulose das folhas., Esse trabalho, então, é realizado pelas bactérias que, em troca, ganham alimentação e moradia.


3) Já no inquilinismo, nenhum dos seres vivos envolvidos retira nada do outro. O exemplo clássico é o das plantas epífitas (orquídeas e bromélias) que aderem aos troncos das árvores. Isso garante que consigam maior luminosidade e, portanto, tenham condições de realizar a fotossíntese para produzir seu alimento. Para as árvores, a presença dessas plantas é inofensiva.

4) O comensalismo é o ato de compartilhar do mesmo alimento. Ocorre, por exemplo, entre as hienas e os leões. Estes caçam sua presa e devoram parte dela até sentirem saciados. As hienas ficam a espreita da saciedade dos leões e então se alimentam do que sobrou. Nessa relação, as hienas se aproveitam do "trabalho" (a caça) dos leões , mas não os prejudicam.

Leoa devora zebra: exmplo de predatismo


5) Ao contrário, o parasitismo é uma relação onde um tira proveito do outro, prejudicando-o. Um exemplo, em nosso próprio organismo, são os piolhos e carrapatos. São chamados de ectoparasitas, pois se instalam do lado de fora do corpo. Mas há também os endoparasitas, que se instalam dentro do corpo, como os vermes que ficam em nosso intestino. Eles retiram grande parte dos nutrientes que consumimos, podendo nos causar anemia.

6) A herbivoria ou herbivorismo refere-se à alimentação dos vertebrados que se alimentam de plantas, conseqüentemente, predando-as. (No caso do homem, dá-se ao fenômeno o nome de vegetarianismo e, no caso dos insetos, de fitofagia.)

7) Finalmente, no predatismo, a relação é entre a presa (que servirá de alimento) e o predador (que caçará a presa). São muitos os exemplos que poderiam ser apresentados. Um deles é o que ocorre entre os leões e as zebras. O predatismo é de grande valia para o ambiente, pois ajuda a controlar a população de determinados animais.

Competição

Há ainda a competição entre os seres vivos, tanto intra-específica como interespecífica. Na intra-específica, os animais de uma mesma espécie disputam alimento, território, água, fêmeas, etc. A competição interespecífica ocorre normalmente por alimento e território.

Essas relações ecológicas são muito importantes, pois garantem a sobrevivência dos diferentes seres vivos e ajudam no combate da densidade populacional, de modo que favorecem o equilíbrio ecológico. Naturalmente, isso ocorre dessa maneira essencialmente onde não há a interferência humana.

Biologia!

Loading...